#NovembroAzul | 4 mitos e verdades sobre o toque retal

O mês de Novembro é marcado por ações e campanhas de conscientização e prevenção ao câncer de próstata. O toque retal é o exame indicado para detecção de problemas nesta região do corpo masculino.  Simples, rápido e considerado muito eficiente pela medicina.


Entretanto, muitos homens temem este momento porque o assunto é, na verdade, cercado de preconceitos. E o médico urologista é um aliado importante para derrubar o medo e o preconceito do paciente sobre o toque retal.


Conheça agora alguns mitos e verdades sobre o toque retal:


Todo homem precisa, em algum momento da vida, fazer o toque retal?

Verdade. Estes exames podem diagnosticar doenças benignas ou malignas da próstata. As razões que levam os homens a terem receio de se submeter a ele vão desde as questões culturais até o medo de realmente descobrir uma doença.


O exame é incômodo ou causa algum tipo de dor?

Mito. A sensação de dor é acionada por problemas psicológicos. Normalmente, o paciente que sente medo do exame, refere mais dor. O toque retal é muito mais simples do que parece e mesmo na presença do câncer, não dói.


Os sintomas mais comuns das doenças ligadas à próstata são a dificuldade e dor para urinar?

Verdade. A hiperplasia benigna, por exemplo, é uma doença na próstata, cujos sintomas são a urgência na necessidade de urinar, dor e a sensação de não esvaziamento da bexiga. Casos mais avançados podem levar à retenção, incontinência urinária e problemas renais. O câncer da próstata é o mais comum nos homens e o segundo mais letal no país.


Se o exame de PSA der normal, isso significa que não existe a possibilidade de a pessoa ter câncer?

Mito. O PSA (Antígeno Prostático Específico) é uma substância produzida na próstata para ser eliminada junto com o sêmen. Tem a finalidade de ajudar o espermatozoide no processo de fecundação. Para garantir maior segurança no exame preventivo, a melhor opção é a realização do PSA e do toque retal em conjunto.

Vamos continuar essa conversa?