Dr. Leandro Vitorino

Dúvidas Frequentes

Veja algumas dúvidas frequentes sobre cirurgias minimamente invasivas;

A cirurgia laparoscópica é feita à laser?

Não. Muitos pacientes imaginam que nas pequenas punções é introduzido uma espécie de “raio laser” para realizar a cirurgia. Na cirurgia laparoscópica são utilizados os mesmos instrumentos da cirurgia aberta, no entanto, são mais modernos e adaptados para a cirurgia minimamente invasiva.

Quais são as cirurgias mais realizadas por esse método?

Diversas cirurgias podem ser realizadas com o método minimamente invasivo como:
Retirada:
- Do câncer de próstata, tumores renais, rim não funcionante, cistos ou cálculos renais ou no ureter, em alguns casos;
Cirurgia:
- De retirada parcial ou total da bexiga, para tumores ou divertículos na bexiga;
- Endometriose que invadem órgãos urológicos, como bexiga e ureter;
- Para meninos que nascem com testículos dentro do abdome;
- Malformações urológicas como estenose de JUP, refluxo vesicoureteral, duplicidade ureteral, ureter retrocava que são identificadas na criança ou adulto;
- Correção de fístulas vesicovaginal (comunicação anormal entre a bexiga e a vagina), correção de fístulas vesicoretal (comunicação anormal entre a bexiga e o reto), reimplante do ureter na bexiga por estenose ureteral;

Cirurgia minimamente invasiva ou convencional: qual possui mais chances de cura?

Ambas possuem exatamente o mesmo potencial de cura, já que o órgão é operado de forma muito semelhante internamente. A diferença está na forma de acessar o órgão, que na cirurgia minimamente invasiva, o cirurgião realiza apenas pequenas incisões ou punções em que são introduzidos equipamentos de imagem (óptica conectada a câmera) e os instrumentos cirúrgicos. Nos procedimentos convencionais são realizados grandes incisões para operar os órgãos internos.

Como funciona a cirurgia minimamente invasiva?

Trata-se de uma cirurgia realizada no abdome do paciente que o ao invés de realizar as grandes incisões convencionais para operar os órgãos internos, o cirurgião realiza apenas pequenas incisões ou punções em que são introduzidos equipamentos de imagem (óptica conectada a câmera) e os instrumentos cirúrgicos próprios da cirurgia minimamente invasiva. Para iniciar a cirurgia é introduzido um gás dentro do abdome do paciente, para que promova a ampliação do espaço operatório. Por meio da técnica, o cirurgião insere no paciente o laparoscópio, um cabo de fibra óptica por meio do qual ele poderá visualizar as estruturas internas do corpo humano. Em um outro pequeno corte, ele pode inserir outras ferramentas cirúrgicas, como o bisturi para realizar a cirurgia. A câmera fornece ao cirurgião uma imagem em alta resolução (HD) que pode ser ampliada em até 20 vezes, fazendo com que se tenha uma ótima visualização dos órgãos, favorecendo também na precisão cirúrgica. O médico se guia pelas imagens trazidas pela câmera para conduzir a cirurgia. 

O que é laparoscopia?

Na medicina moderna, o termo se refere a um procedimento cirúrgico minimamente invasivo realizado com a ajuda de uma microcâmera e com pequenas incisões. É um método utilizado em diversas cirurgias urológicas.

Ainda com dúvidas?

Fale comigo pelo chat